Instituição

Datas Históricas

  • 1530, 2 de Agosto  fundação da Santa Casa da Misericórdia de Ponte de Lima, pelo rei D. João III, cujo alvará existe na instituição.

 

  • 1551  referência documental mais antiga do Hospital da Santa Casa.

 

  • 1551, 16 de Junho – por ordem de D. João III, são anexadas à Misericórdia, as rendas a administração do do Hospital da Gafaria.

 

  • 1586, 27 de Novembro  testamento de António Dias Maciel, morador em S. Miguel, Açores, pelo qual instituía uma escola primária.

 

  • 1597, 29 de Janeiro  por Alvará régio são concedidas à Misericórdia de Ponte de Lima todos os poderes atribuídos à de Lisboa.

 

  • 1625, 3 de Julho – por Alvará régio, a Misericórdia podia pedir pão uma vez por ano, nos extintos concelhos da Correlhã, Santo Estevão de Riba de Lima, Albergaria de Penela, Pico de Regalados e Paredes de Coura, para custear as despesas de libertação de presos e dos peregrinos que aqui passavam a caminho de Santiago de Compostela.

 

  • 1628, 2 de Junho – A Confraria de Nª Sª da Guia, propôs à Mesa a comprado Hospital da Gafaria, para utilizar a sua cantaria na construção do seu templo.

 

  • 1638 / 39  construção da capela-mór da Igreja, a expensas de Diogo Feraz e Mecia Pereira.

 

  • 1695 – morte de  Gaspar Pires Machado, que entre outros bens deixou á Misericórdia suas salinas em Aveiro.

 

  • 1740, 25 de Julho  falecido no Porto, Matias Gonçalves de Lima, no seu testamento contempla verbas para fundar uma escola primária na sua freguesia de Refóios de Lima.

 

  • 1872, 30 de Junho – em visita oficial a Ponte de Lima, o rei D. Luis I visita a Santa Casa.

 

  • 1874 – a Mesa comprou os antigos Quartéis ou Hospital de S. João de Deus, que em 1909 o município mostrara também interesse na sua aquisição, por 1.444$ 42,3 réis.

 

  • 187831 de Dezembro  é sepultado o último cadáver dentro da Igreja da Misericórdia, pois a partir do dia seguinte existia o cemitério municipal.

 

  • 1879, 10 de Junho – é inaugurado o Asilo de Infância Desvalida D. Maria Pia, num prédio alugado na Rua da Abadia; a instituição foi integrada na Misericórdia em 1978.

 

  • 189113 de Fevereiro  falece em Paris o Visconde de Amoroso Lima, comerciante no Rio de Janeiro e benemérito fundador do Asilo / Lar D. Maria Pia.

 

  • 190310 de Março  a Assembleia Geral da Confraria de Nª Sª da lapa, autoriza a Misericórdia a construir o seu hospital no parque defronte da capela, deliberação que não foi cumprida.

 

  • 1905, 7 de Setembro – No seu chalet á entrada do Bairro do Pinheiro, falece o médico vizelense António Inácio Pereira de Freitas, que foi cirurgião e Director do nosso hospital, e clínico municipal, além de autor do projecto do Hospital para o Parque da Lapa.

 

  • 1913  falecimento do benemérito Francisco António da Cunha Magalhães, que regressado do Brasil, comprou o antigo Paço do Marquês e a quinta da Baldrufa de Baixo, legando por sua morte, o primeiro imóvel para a irmandade instalar um novo hospital.

 

  • 1913 – publicação em folheto do novo Estatuto da Santa Casa.

 

  • 1914  o campanário da Irmandade de Nª Sª da Expectação, erecta na Matriz, é retirado da torre da muralha da vila, e colocado na torre sineira da Misericórdia.
  • 1923 / 1924 – uma intervenção urbanística municipal, separou a sede histórica da instituição em dois edifícios, ligando a Rua Cardeal Saraiva ao então Passeio Cândido dos Reis; um edifício serviu  para instalação a GNR, depois Biblioteca Municipal, e o outro , acoplado á Igreja, para consistório, sala de reuniões e restantes serviços administrativos. Para além de verba pecuniária pela transacção do prédio, a Misericórdia recebeu também a antiga Casa da Roda dos expostos, no bairro da Lapa, colocando-lhe então um segundo piso.

 

  • 1927 – inauguração do hospital, no antigo castelo da vila ou Paço do Marquês.

 

  • 1929, 17 de Junho  falecimento do terceiro e último Conde de Bertiandos, considerado o maior benemérito da Misericórdia no século XX, legando 55 % da sua fortuna à Misericórdia, após acordo judicial celebrado no Supremo Tribunal com seus parentes.

 

  • 1936, 6 de Agosto – falace um dos maiores beneméritos da instituição, fundador da Vila Moraes. João Francisco Rodrigues de Moraes, que aquando Provedor lançou as bases para um novo hospital, liderando a lista de subscritores.

 

  • 1941 – Acórdão do Supremo Tribunal de Justiça entre a Misericórdia e os parentes do Conde de Bertiandos, sobre a herança vultuosa de quintas, casas, leiras, bouças, etc.

 

  • 1950, 16 de Abril – reunidos em assembleia geral, os irmãos autorizam a Mesa a comprar terreno para um novo hospital.

 

  • 1952  colocação da primeira pedra do (novo) Hospital da Santa Casa, numa parcela da urbanização da Quinta dos Carreiros, nos limites Arca – Ponte de Lima, adquirida à família Fiúza da Rocha.

 

  • 1952 , 5 de Julho  na sua quinta do Pinheiro, Correlhã, falece o médico Amândio Celestino Vieira Lisboa, que foi também Director do Hospital da Santa Casa.

 

  • 1958, 22 de Setembro – por ocasião das Feiras Novas, inauguração do novo Hospital, sendo Provedor o Dr. Filinto Elísio de Morais.

 

  • 1958 , 7 de Outubro  é realizada a primeira intervenção cirúrgica de urgência.

 

  • 1958 , 9 de Outubro  é inaugurado o serviço normal de intervenções cirúrgicas no hospital.

 

  • 1963, 26 de Junho  em sessão da Câmara Municipal, presidida pelo Coronel Alberto de Sousa Machado, é aprovada a compra do Paço do Marquês à misericórdia, pelo valor de 506.000$00, para lá instalar a Escola Técnica de Ponte de Lima.

 

  • 1969  início da construção do Bairro da Misericórdia, na Rua Dr. Luis da Cunha Nogueira, junto da esquadra da PSP.

 

  • 1978 – por Despacho do Director Geral da Assistência, são integradas na Misericórdia, a  Oficina de S. José e o Lar D. Maria Pia, com respectivos funcionários e património.

 

  • 1979 – Parte da administração transita para salões do palacete da Villa Moraes, face ao espaço considerado já reduzido na sua sede, situada  no Adro da Matriz.

 

  • 1980/ 82 – construção do Lar de S. José, junto da antiga adega e alambique da quinta da Villa Moraes, dois anos antes integrada na Misericórdia.

 

  • 1989/90 – é realizado um novo inventário do património, com base em visitas ao local, e matrizes prediais da Repartição de Finanças, sendo Provedor Fernando Calheiros de Barros.

 

  • 2001, 5 de Novembro – falece António de Azevedo Nogueira, Provedor, em cujo mandato se realizaram reconversões de património rural em urbano, designadamente os blocos de habitação e comércio na Praceta Dr. Álvaro Vieira de Araújo.

Bibliografia

Matos Reis, António – a Santa Casa da Misericórdia no Passado e no Presente – Ponte de Lima, Scmpl, 199

Fonte, Teodoro Afonso da – no Limiar da Honra e da Pobreza – a Infância Desvalida e Abandonada no Alto Minho (1698-1924) – Ed. Ancorensis Cooperativa de Ensino, Crl-neps (universidade do Minho), V. P. Âncora, Dezº 2005

Morais, Adelino Tito de – Boletim Informativo – Santa Casa da Misericórdia, Scmpl – Nºs 4, 11, 12, 13, 15, 17.

Arquivo da Scmpl.

Instituição

Menu